728 ad

Tratamento da crise da enxaqueca – Novidades do Congresso Mundial – 2015

Tratamento da crise da enxaqueca – Novidades do Congresso Mundial realizado em Valencia, Espanha, 14 a 15 de maio – 2015. Dr Paolo Marteletti, editor chefe da revista Journal of Headache and Pain, e eu passamos para julgar os posters referentes a pesquisas de novos tratamentos para crises de dores de cabeça. Algumas pesquisas interessantes foram mostradas. Eficácia do AVP-825 vs sumatriptano 100 mg, bloqueio de nervo occipital com bupivacaina sem corticoides para tratar aura prolongada da enxaqueca, estimulação não invasiva do nervo vago para crise de enxaqueca, estimulação magnética transcraniana de pulso único para tratar enxaqueca com uso excessivo de analgésicos. Foi estudada a combinação entre sumatriptano 100 mg e paracetamol 500 mg, mostrando que os dois juntos funcionam melhor que quando usados separadamente, sem efeito negativo gástrico que as combinações de sumatriptano com naproxeno podem ocasionar. A experiência de alguns casos com ketamina endovenosa mostrou-se promissora, boa resposta clínica com poucos efeitos colaterais. Também pela veia, um relato do uso de sulfato de magnésio 2 gramas com sucesso em 88 pacientes com crises prolongadas de enxaqueca. O aparelho CoolHead, que injeta ar frio dentro das narinas através de um fino cateter para aliviar as crises de enxaqueca mostra se promissor, uma forma inovadora de tratar a crise, literalmente “esfriando a cabeça”. Nas apresentações sobre prevenção tivemos a divulgação dos resultados do uso dos anticorpos monoclonais contra o CGRP, já em fase avançada dos estudos que mostram boa segurança e eficácia, em aplicações injetáveis, detalharemos em outro post. Dr Mario...

Dor de cabeça relacionada a maior ingesta de sal

Dor de cabeça relacionada a maior ingesta de sal. Dr Mario Peres, médico neurologista, escreve sobre a recente pesquisa que mostrou relação do consumo de sal com mais dor de cabeça. Estudo publicado no British Medical Journal (BMJ) mostra o efeito do consumo do sal e a ocorrencia de dores de cabeça. Liderado pelo Dr. Lawrence Appel, diretor do Welch Center for Prevention, Epidemiology and Clinical Research na Johns Hopkins, Baltimore, a pesquisa mostra que pessoas que ingerem 8 gramas de sal por dia tem 35% mais dor de cabeça do que quando ingerem 4 gramas. Para acessar o estudo “Effects of dietary sodium and the DASH diet on the occurrence of headaches: results from randomised multicentre DASH-Sodium clinical trial” acesse o link http://bmjopen.bmj.com/content/4/12/e006671.full   Foram  390 pessoas divididas na dieta DASH, rica em frutas, vegetais, laticinios, e pouco gordurosa ou dieta livre, o ideia dos autores era de verificar o efeito da dieta na hipertensão arterial. A diferença das duas dietas não foi significante em relação a dores de cabeça, mas o conteúdo de sal foi o que mostrou impacto. Resta saber se diminuirmos o sal da alimentação pode melhorar as dores de cabeça das pessoas que sofrem com enxaqueca, cefaleia tensional ou outras dores de cabeça. Como a maioria das pessoas come acima do recomendado do conteúdo de Sódio (1,5 g ao dia), esta orientação pode ser útil para a maioria das pessoas. Especialistas podem incluir a diminuição do sal nos tratamentos da enxaqueca. Esta pesquisa tem limitações pois não sabemos o tipo exato das dores de cabeça, se cefaleias do tipo tensional, enxaquecas, dores diarias ou infrequentes se alteraram da mesma forma com a mudança da ingesta de sal....

Causas da Enxaqueca, dor de cabeça no calor

O site do Dr Drauzio Varella publicou uma matéria sobre as causas da enxaqueca, o calor e as dores de cabeça, na qual damos alguns esclarecimentos, veja o texto abaixo escrito pela jornalista Juliana Conte: http://drauziovarella.com.br/destaque1/calor-intensifica-crises-de-enxaqueca/ “A enxaqueca é uma doença multifatorial, causada por vários fatores além do genético. O consumo de alimentos como queijos, embutidos e chocolate, alterações hormonais, tabagismo, odores fortes e ingestão de bebida alcoólica podem desencadear uma crise. Por isso, se você costuma ter crises de enxaqueca é melhor ficar atento, pois o calor ajuda a torná-las mais frequentes. Nestes dias em que a temperatura vem batendo recordes, a dica é evitar exposição prolongada ao sol e procurar se hidratar bem. “O que acontece é que o calor dilata as artérias e veias da cabeça, podendo causar fortes dores no fim do dia. A claridade também é um grande problema, pois pessoas com enxaqueca apresentam fotofobia, ou seja, são muito sensíveis à luz”, explica o neurologista Mario Peres, do Hospital Israelita Albert Einstein. No calor, os indivíduos também ficam mais suscetíveis à desidratação, que leva a um desequilíbrio na entrada e saída de sódio e potássio das células, podendo alterar o metabolismo e desencadear quadros de enxaqueca. “Nos dias de temperaturas elevadas, nós automaticamente perdemos muito mais líquidos. E isso tem relação direta com a enxaqueca”, completa Peres. A medida de controle para as crises seria resfriar a cabeça com compressas de água fria, tomar bastante líquido e, se estiver num ambiente muito quente, esperar um pouco para entrar em outro muito gelado, com ar condicionado. É importante também sair de casa munido de óculos de sol e chapéu.” Vale lembrar que o tratamento da enxaqueca e de outras cefaleias, dores de cabeça não pode ser apenas com remédios para crise, como os analgésicos, deve ser preventivo, para evitar que venham as dores de cabeça, avaliando as causas e...

Especialista esclarece dúvidas frequentes sobre dores de cabeça, enxaqueca

Dr Mario Peres, médico neurologista, responde perguntas sobre causas, sintomas e tratamento das dores de cabeça, cefaleias, enxaquecas. 1.Quais as causas mais comuns da dor de cabeça (tensão, ingestão de álcool, enxaqueca, problemas oculares, sinusite etc.)? As dores de cabeça podem ser um sintoma de alguma doença, desde uma simples gripe até um aneurisma ou tumor cerebral, quando chamamos de cefaleias secundárias. Podem ser também dores de cabeça recorrentes como no caso da enxaqueca, cefaleia tensional, cefaleia em salvas e outras, chamadas cefaleias primárias. Nestas, os desencadeantes podem ser alimentares (jejum, bebida alcoólica, excesso de cafeína, lactose, embutidos, enlatados), hormonais, estresse, falta de sono, e sedentarismo. 2.Como é feito o diagnóstico das cefaleias, das dores de cabeça? O diagnóstico das cefaleias secundárias se faz com exames pertinentes a cada suspeita, desde testes laboratoriais como hemograma, dosagem de hormonios, provas inflamatórias, assim como exames de imagem, tomografia, ressonancia magnética. Na suspeita de meningite costuma se fazer o exame do liquor, por punção lombar, para retirada e análise do líquido cefalorraquidiano (liquor). Já o diagnóstico das cefaleias é clínico, baseado nas informações, aspectos, características das dores, sua localização, tipo, fatores associados, duração, frequência, na maioria das vezes não necessita de exames. 3.Como prevenir e tratar os sintomas das cefaleias? O principal tratamento das cefaleias é o preventivo, para tanto, é preciso uma avaliacão criteriosa para serem determinados os desencadeantes, as causas da dor. Existem várias opções de medicamentos e formas não medicamentosas para prevenir enxaquecas e outras cefaleias primárias, com o uso de antidepressivos, anticonvulsivantes, bloqueadores adrenérgicos, além de suplementos, vitaminas, fitoterápicos que podem também ser usados. O uso da toxina botulínica (botox) é muito utilizado em pacientes com enxaqueca crônica. Na hora da dor, para cortar a crise, os analgésicos simples podem funcionar, mas em crises mais fortes são necessários medicamentos específicos, da classe dos triptanos, com resposta superior aos...

Enxaqueca no Site do Einstein: Sintomas, Tratamento, Botox

Dr Mario Peres fala sobre enxaqueca no site do Hospital Albert Einstein. Leia a matéria Enxaqueca O que é enxaqueca? Muitas vezes confundida com outras cefaleias, a enxaqueca é um tipo de dor de cabeça que costuma provocar dores unilaterais e latejantes, acompanhadas na maioria das vezes de náuseas, vômitos e intolerância a sons, luz e cheiros fortes. As crises tendem a aparecer ocasionalmente, com duração de quatro até 72 horas. Em casos extremos, a frequência pode ser diária. Causas da Enxaqueca A enxaqueca é uma doença multifatorial. Além do fator genético, o consumo de alimentos como queijos, embutidos, chocolate, café e adoçantes com aspartame, sono prolongado ou falta de sono, excesso de exposição ao sol, alterações de hormônios, tabagismo, odores fortes e a ingestão de bebida alcoólica podem desencadear uma crise. Transtornos de humor, como ansiedade e depressão, também podem frequentemente estar associados a um episódio de enxaqueca. Incidência A enxaqueca acomete 15% da população brasileira. Mais frequente no público feminino – só na região sudeste 30% das mulheres sofrem com as crises -, a doença é uma das principais causas de falta ao trabalho. A média é de quatro dias perdidos de trabalho por ano. Nos Estados Unidos, o custo estimado indireto por ano é de 13 bilhões de dólares. Por ser incapacitante – algumas pessoas não conseguem ficar em locais com luz ou barulho –, a enxaqueca influencia também as atividades familiares, sociais e escolares. Sintomas da Enxaqueca A crise de enxaqueca pode ser dividida em quatro etapas com sintomas distintos. Na premonitória, o período anterior à dor de cabeça, é comum o desejo por determinados alimentos, como chocolate, alterações de humor, cansaço, bocejos e retenção de líquidos. Depois vem a aura, que normalmente precede a crise, mas também pode ocorrer simultaneamente. Ela ocorre em 15 a 25% das enxaquecas, e se manifesta com alterações na vista...

Exercício Físico no Tratamento da Enxaqueca

Está sendo realizado um protocolo de pesquisa na UNIFESP para avaliar o efeito do exercício físico no tratamento da enxaqueca. Trata-se da tese de doutorado de Arão Belitardo, aluno do Prof Dr Mario Peres. Será feito um treinamento físico aeróbio 3vezes por semana por 12 semanas, com intensidade moderada (40-60% do VO2 de reserva) em esteira. Será avaliada a aptidão aeróbia por ergoespirometria e pré e pós treinamento e correlacioná-los com a frequência de crises. Critérios de inclusão: Ø Pessoas que sofram de enxaqueca menos de 15 dias por mês; Ø Homens ou mulheres de 18 a 65 anos; Ø Que não tomam medicação para o coração [PROPRANOLOL (REBATEN) – ATENOLOL (ATENOL) – CARVEDILOL (CARDILOL) – VERAPAMIL (DILACORON)]. Não tabagistas; Não usuário de drogas; Sem uso de pílulas contraceptivas, anticoncepcionais (p/ as mulheres)  Ø Sedentários (não estejam praticando atividade física regularmente). Ø Estejam dispostas a realizar programa de 12 semanas (3 x / semana) de condicionamento físico aeróbio (moderado) como parte do seu tratamento. Ø Os participantes realizarão gratuitamente teste ergo-espirométrico (aptidão física) e exames de sangue. Ø Pessoas SEM enxaquecas, desde que atendam os demais critérios, também poderão participar como controle. Para maiores informações e agendamento de consulta, favor contatar Dr. Reinaldo Ribeiro ou Enfermeiro Johny: – Pelo Telefone: 5576-4778; ou, – Pelo e-mail dr.reinaldo@ig.com.br; ou – Pessoalmente no Ambulatório de Dor de Cabeça da UNIFESP na Rua Napoleão de Barros, 771, Térreo, Balcão 5 da Neurologia, Seg. – Qua. – Sex. às 8:00h....

Estudo mapeia progressão da Enxaqueca Crônica

PROGRESSÃO DA ENXAQUECA CRÔNICA : INÍCIO DOS SINTOMAS DAS CEFALEIAS, TRANSTORNOS DE ANSIEDADE, DEPRESSÃO E ENXAQUECA CRÔNICA Pesquisa publicada recentemente na revista Headache Medicine revela como o ocorre a progressão dos sintomas ao longo das décadas até se chegar na enxaqueca crônica, tipo mais grave de enxaqueca. A enxaqueca crônica se caracteriza por crises de enxaqueca diariamente, se associa geralmente a sintomas de ansiedade e humor, sendo comum a associação com a depressão. Os pesquisadores avaliaram a relação temporal entre o aparecimento dos sintomas de ansiedade, depressão e dor de cabeça, 84% dos indivíduos com enxaqueca crônica apresentaram algum diagnóstico psiquiátrico, principalmente transtorno de ansiedade (76%), depressão (50%), e transtorno misto de ansiedade e depressão (44%). O transtorno de ansiedade mais freqüente foi o transtorno de ansiedade generalizada (preocupações excessivas) e fobia específica (de animais, altura, lugar fechado, sangue). Os indivíduos com enxaqueca crônica avaliados apresentaram uma característica em comum: os transtornos de ansiedade se instalaram primeiro, na adolescência (média de idade de 13,9 anos), seguidos do início de enxaqueca episódica, enxaquecas espassadas (média de idade de 20,9 anos), depois se instalaram alterações do humor como a depressão (33,4 anos) e por último a enxaqueca crônica, o pior estágio da enxaqueca com crises de dor diária (36,7 anos). A idade média dos indivíduos avaliados era 41,4 anos. Dra Juliane Mercante, autora principal do estudo, comenta: “a progressão da doença segue um padrão semelhante nos que sofrem hoje de enxaqueca diariamente, o diagnostico e o início do tratamento da enxaqueca precocemente pode evitar a piora e evolução do quadro”. Pacientes com história de ansiedade, enxaqueca e depressão possivelmente podem estar com risco mais elevado de desenvolver enxaqueca crônica. E a avaliação precoce pode prevenir um sofrimento significativo. Para contato com Dra Juliane Mercante, psicóloga com doutorado no Instituto de Psiquiatria da FMUSP, escreva para julianeperes@terra.com.br ou (11)...

Anvisa aprova botox para tratamento da enxaqueca

Assista a matéria do Jornal da Band sobre tratamento da enxaqueca com botox Dr Mario Peres, médico neurologista, criador do Centro de Cefaleia São Paulo, coordenador das pesquisas em cefaleia e pesquisador senior do Instituto do Cérebro do Hospital Albert Einstein escreve sobre o tratamento da enxaqueca crônica com o Botox. A ANVISA aprovou o uso das aplicações de Botox, a toxina botulínica tipo A, para o tratamento da enxaqueca crônica. Recentes estudos clínicos mostraram que o Botox aplicado em certos pontos na cabeça resultaram em melhora significativa de enxaquecas crônicas, que são enxaquecas frequentes, vindo mais do que 15 dias de dor por mês, ou seja, mais dias com dor do que sem dor. Em estudo epidemiológico feito no Brasil coordenado pelo Dr Mario Peres, dores de cabeça frequentes afetam 6,9% da população Brasileira. Dr Mario Peres alerta para aspectos do tratamento com botox para enxaqueca: “A aplicação deve ser feita em alguns pontos específicos, diferente para cada paciente com enxaqueca, não sendo só realizada nos pontos habitualmente utilizados nas aplicações com finalidade estética”. O tratamento para enxaqueca com Botox necessita que pontos na região temporal, occipital e nuca, e não apenas na testa. Utiliza-se em geral no tratamento da enxaqueca um frasco inteiro do Botox, podendo ser até mais do que um frasco, dependendo da necessidade, ao contrário das aplicações estéticas que utilizam um terço do frasco ou meio frasco. Para saber mais clique em: Enxaqueca | tratamento da enxaqueca | sintomas da enxaqueca | botox para enxaqueca | botox para dor de cabeça | remédio enxaqueca | enxaqueca com aura | especialista...

Saiba tudo sobre enxaqueca – Hospital Albert Einstein

Assista o vídeo sobre enxaqueca, dores de cabeça, cefaleia tensional, cefaleia em salvas na página do Hospital Albert Einstein – Em dia com a saúde. Dr Mario Peres, médico neurologista, explica as causas, sintomas e tratamentos das cefaleias, enxaquecas. Leia todos os posts sobre cefaleia em salvas clicando aqui cefaleia em...

Necessidade de Tratamento Preventivo para Enxaqueca no Brasil

Trabalho apresentado no 53 Congresso Americano de Cefaleia, Washington DC, 2-5 de Junho de 2011. Nosso trabalho mostra a imensa lacuna de tratamento de dores de cabeça, cefaleias primárias como a enxaqueca e a cefaleia tensional no Brasil. Em estudo feito em cerca de 4000 pessoas em todo o Brasil avaliamos as prevalências da enxaqueca e outras cefaleias e mostramos qual a porcentagem de pessoas que não faziam tratamento correto para as cefaleias. Neste gráfico temos as porcentagens das diferentes cefaleias, enxaqueca, cefaleia tensional e a porcentagem de pessoas que precisariam fazer tratamento preventivo. Neste outro gráfico vemos que dos pacientes com enxaqueca que precisariam estar em tratamento apenas 2,6% realmente estavam usando algum tratamento...

Tratamento da enxaqueca e perda de peso

Tratamento da enxaqueca e perda de peso Dr Mario Peres, médico neurologista, escreve sobre o tratamento da enxaqueca e as implicações da perda de peso. O tratamento da enxaqueca é influenciado pelo peso corporal do paciente. Remédios afetam o peso, tanto os que aumentam o peso, quanto os que diminuem o peso. A obesidade influencia como causa da cronificação da enxaqueca, alterações metabólicas decorrentes da obesidade podem ser complicadores do tratamento da enaqueca. Perder peso significa diminuir a sobrecarga que pode existir na pessoa que sofre com a enxaqueca. A maioria das pessoas estão no chamado sobrepeso, as portadoras de enxaqueca também. A perda de peso é então favorável para a melhora da enxaqueca. O EFEITO DOS REMÉDIOS – PERDA DE PESO E ENXAQUECA REMÉDIOS QUE DIMINUEM O PESO O primeiro ponto a se considerar é o efeito negativo que remédios para diminuir o peso podem ter na enxaqueca. Sibutramina (plenty, reductil) e anfetaminas (fenproporex, anfepramona) normalmente agravam as crises de enxaqueca, tornando-as mais frequentes, mais fortes, obrigando a sofredora ou sofredor de enxaqueca a parar o remédio. Muitas vezes o paciente não percebe e mantém o tratamento. MEDIDAS QUE DIMINUEM O PESO Importante lembrar que ficar sem comer, o jejum prolongado, é um desencadeador da enxaqueca. Fazer regime ficando sem comer não é vantagem nenhuma. Perder peso nada mais é que diminuir a ingesta alimentar de calorias e queimá-las com exercícios físicos. A realização de atividade física é benéfica para o tratamento da enxaqueca, um exercício regular, sem exageros, constante, com atividade aeróbica, exercícios como corrida, caminhada, dança, bicicleta, natação, todos podem ser extremamente úteis no TRATAMENTO DA ENXAQUECA e também importantes para perda de peso. REMÉDIOS QUE AUMENTAM O PESO MAS TRATAM DA ENXAQUECA Existem alguns remédios que são bons para enxaqueca infelizmente tem como efeito colateral o aumento de peso, são eles os antidepressivos tricíclicos (amitriptilina,...

Livro Dor de Cabeça na Saraiva Digital para Iphone e Ipad

Livro Dor de Cabeça: O que ela quer com você? Agora ebook na Saraiva Digital O livro “Dor de Cabeça: O que ela quer com você?” escrito pelo Dr Mario Peres, médico neurologista, publicado pela editora Integrare, torna-se o primeiro livro da área a entrar como ebook. A livraria Saraiva lançou recentemente o aplicativo Saraiva Digital para tablets como o ipad. Agora você poderá ler o livro “Dor de Cabeça: o que ela quer com você?” no seu tablet ou iphone. Esta é a tela que você verá ao clicar a imagem A Saraiva Digital Livros é o primeiro aplicativo leitor de livro digitais no Brasil para iPhone e iPad. São mais de 150 mil títulos importados, 2 mil títulos em português, 150 obras gratuitas para você experimentar. Para iPad e para...

« Older Entries