728 ad
Especialista esclarece dúvidas frequentes sobre dores de cabeça, enxaqueca

Especialista esclarece dúvidas frequentes sobre dores de cabeça, enxaqueca

Dr Mario Peres, médico neurologista, responde perguntas sobre causas, sintomas e tratamento das dores de cabeça, cefaleias, enxaquecas.

1.Quais as causas mais comuns da dor de cabeça (tensão, ingestão de álcool, enxaqueca, problemas oculares, sinusite etc.)?

As dores de cabeça podem ser um sintoma de alguma doença, desde uma simples gripe até um aneurisma ou tumor cerebral, quando chamamos de cefaleias secundárias. Podem ser também dores de cabeça recorrentes como no caso da enxaqueca, cefaleia tensional, cefaleia em salvas e outras, chamadas cefaleias primárias. Nestas, os desencadeantes podem ser alimentares (jejum, bebida alcoólica, excesso de cafeína, lactose, embutidos, enlatados), hormonais, estresse, falta de sono, e sedentarismo.

2.Como é feito o diagnóstico das cefaleias, das dores de cabeça?

O diagnóstico das cefaleias secundárias se faz com exames pertinentes a cada suspeita, desde testes laboratoriais como hemograma, dosagem de hormonios, provas inflamatórias, assim como exames de imagem, tomografia, ressonancia magnética. Na suspeita de meningite costuma se fazer o exame do liquor, por punção lombar, para retirada e análise do líquido cefalorraquidiano (liquor).

Já o diagnóstico das cefaleias é clínico, baseado nas informações, aspectos, características das dores, sua localização, tipo, fatores associados, duração, frequência, na maioria das vezes não necessita de exames.

3.Como prevenir e tratar os sintomas das cefaleias?

O principal tratamento das cefaleias é o preventivo, para tanto, é preciso uma avaliacão criteriosa para serem determinados os desencadeantes, as causas da dor. Existem várias opções de medicamentos e formas não medicamentosas para prevenir enxaquecas e outras cefaleias primárias, com o uso de antidepressivos, anticonvulsivantes, bloqueadores adrenérgicos, além de suplementos, vitaminas, fitoterápicos que podem também ser usados. O uso da toxina botulínica (botox) é muito utilizado em pacientes com enxaqueca crônica.

Na hora da dor, para cortar a crise, os analgésicos simples podem funcionar, mas em crises mais fortes são necessários medicamentos específicos, da classe dos triptanos, com resposta superior aos comumente usados

4.Como é a dor na enxaqueca e na cefaleia tensional?

A dor na enxaqueca é pulsátil, latejante, normalmente um um lado da cabeça, de moderada a forte intensidade, acompanhada de incomodo com a luz, barulho, enjoos, e podendo ser precedida por alterações visuais, chamadas de aura da enxaqueca. A cefaleia tensional é caracterizada por um dor em peso, aperto, bilateral, sem fenômenos acompanhantes, intensidade mais fraca.

5. Como é a cefaleia em salvas?

A cefaleia em salvas é uma dor de cabeça das mais fortes que o ser humano pode sentir, infelizmente ocorre uma demora muito grande no seu diagnóstico, podendo levar em média 8 anos, mas quando tratada corretamente tem bom prognóstico. É uma dor diferente da enxaqueca, ocorre apenas em um lado da cabeça, na região ocular, podendo irradiar para ouvido, maxilar, cervical, pescoço. É uma dor de intensidade muito forte, tem duração em média menor que uma hora, podendo ir até 3 horas, aparecem sintomas associados como lacrimejamento, olho vermelho, inchaço nos olhos, queda da pálpebra, entopimento do nariz. As crises tem predileção para um horário do dia, preferencialmente noturnas.

6.Em todos os casos, quais o risco da automedicação? Por quê?

A automedicação pode levar `a cronificação da dor, `a intoxicação pelo uso excessivo de analgésicos, podendo gerar lesões no estomago, fígado e rins, hipertensão, e até isquemias (infarto, AVC) no caso de uso excessivo de ergotaminas.

468 ad

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *