728 ad
Currently Browsing: Dor de Cabeça, Cefaleias e Enxaqueca

Focos de Alteração de Sinal na Substância Branca Cerebral

Dr Mario Peres, médico neurologista, escreve sobre a alteração de sinal na substância branca cerebral. Quando se pede uma Ressonância Magnética da Cabeça é comum observarmos no lauda o descrição: -Raros e Diminutos Focos e alteração do sinal da substância branca de ambos os hemisférios cerebrais, inespecíficos, comumente representando gliose ou rarefação mielínica. O que significa este laudo de Ressonância Magnética de Cabeça? Normalmente este é um laudo que acompanha muitos exames de Ressonância Magnética de Cabeça, normalmente na investigação de uma dor de cabeça, cefaleia, enxaqueca. É preciso saber se a pessoa tem algum risco para doença vascular, para ter um AVC, como tabagismo, hipertensão, diabetes, sedentarismo, estresse, além da enxaqueca que é por ela própria também um risco. Raramente este laudao se reflete em esclerose múltipla, ou isquemia cerebral, geralmente são achados benignos e não se correlacionam com a gravidade dos sintomas do paciente. Não se desespere, procure um neurologista para definir exatamente qual é o seu problema, ao ler o laudo do exame não tome conclusões precipitadas, cuidado com o Dr Google! Para marcar uma consulta com o Dr  Mario Peres, médico neurologista com doutorado na UNIFESP e pós-doutorado na Filadelfia, EUA, ligue para 11 2151-0110 (Hospital Albert Einstein, sala 110) ou no consultório da R Joaquim Eugenio de Lima, 881 cj 708, no numero 11...

Causas e Tratamento da Enxaqueca e Dores de Cabeça – CBN

Causas e Tratamento da Enxaqueca e Dores de Cabeça – CBN Programa Consultório CBN com Tania Morales, entrevista sobre enxaqueca, dores de cabeça com Dr Mario Peres, neurologista do Hospital Albert Einstein <iframe src=”http://www.cbn.com.br/Player/player.htm?audio=2012/noticias/consultorio_120901&OAS_sitepage=cbn/comentarios/” width=”475″ height=”193″ marginheight=”0″ marginwidth=”0″ frameborder=”0″ scrolling=”no” bgcolor=”#CCCCCC”/></iframe> Dr Mario fala sobre o livro “Dor de cabeça: o que ela quer com você?”, sobre hormônios e enxaqueca, causas da enxaqueca, tratamentos com remédio, tratamento sem remédio.   Para marcar uma consulta ligue para (011) 2151-0110 (Hospital Albert Einstein) ou (011) 3285-5726 (Centro de...

Melatonina no Brasil

Melatonina e seu uso para cefaleias. Dr Mario Peres escreve sobre melatonina e o seu potencial uso para cefaleias. Uma das nossas linhas principais de pesquisa é o papel da melatonina nas cefaleias. Nosso estudo no tema é de mais de 10 anos, a primeira publicação foi na revista The Lancet, em 2000, uma das revistas mais prestigiadas da medicina. No mesmo ano defendia a minha tese de doutorado no Departamento de Neurologia da Escola Paulista de Medicina com o título “A importância da prolactina, cortisol, GH e melatonina na cefaléia crônica diária”. Desde então fizemos pesquisas em modelos experimentais, pesquisas clínicas, dosagens laboratoriais, orientei teses e quando trabalhei nos Estados Unidos de 2000 a 2001 tive uma experiência clínica grande com melatonina no tratamento de diversas cefaleias como as enxaquecas, cefaleia em salvas, cefaleia hípnica e cefaleias secundárias, experiência esta que pude trazer quando voltei para o Brasil. Somo referência nesta área de pesquisa não só no Brasil mas em todo o mundo. Me coloco desta forma não para me posicionar na frente de qualquer outro colega, mas para esclarecer os pacientes que tomam melatonina no Brasil e que recebem prescrições de melatonina. No domingo dia 5 de agosto de 2012, o Fantástico traz uma reportagem sobre os doutores do antienvelhecimento, médicos que oferecem tratamentos hormonais que eles dizem ser revolucionários – mas que, na verdade, são condenados pelo Conselho Federal de Medicina. Entendo os exageros, mas neste “balaio” é mencionada a melatonina, e com informações inverídicas. No meio da entrevista fala-se “No consultório em Curitiba, o doutor J L V faz um longo exame clinico. E o paciente sai com uma lista enorme de suplementos, vitaminas e cinco hormônios. Entre eles, a melatonina, proibida no Brasil. “É um potente antidepressivo, potente anticâncer”, diz um médico.” Detalhe, a melatonina NÃO é proibida no Brasil, e sim não tem...

Tratamento para Enxaqueca sem Remédio

TRATAMENTO para ENXAQUECA sem remédio Dra Juliane Mercante, psicóloga com doutorado pelo IPq – FMUSP, escreve sobre o tratamento da enxaqueca sem remédios. Muitos sofredores de enxaqueca se interessam pelos tratamentos naturais, caseiros, e pelos tratamentos sem remédio. O tratamento da enxaqueca pode ser para cortar a crise de dor, mas o principal tratamento da enxaqueca é o preventivo, para evitar que venham as crises. É POSSÍVEL TRATAR A ENXAQUECA SEM REMÉDIOS? Sim, é possível. Nas últimas duas décadas, o tratamento não farmacológico para prevenção e controle da enxaqueca (migrânea) tem sido usados como terapias independentes ou combinadas à terapia medicamentosa. O Tratamento medicamentoso em conjunto com o não-medicamentoso costuma ter resultados melhores. QUEM PODE FAZER UM TRATAMENTO SEM REMÉDIOS PARA A ENXAQUECA? O tratamento pode ser feito por qualquer pessoa, a princípio, os tratamentos não medicamentosos não tem limitação importante. O tratamento não medicamentoso pode ser particularmente adequado como opção para indivíduos que sofrem de enxaqueca e que apresentam contraindicação médica para tratamentos farmacológicos específicos, como gravidez, planejamento de gravidez ou amamentação, além de pessoas que não toleram os efeitos colaterais dos remédios, idosos, indivíduos com doenças crônicas. Os objetivos do tratamento para enxaqueca, tanto farmacológico quanto não-farmacológico são: reduzir a frequência, intensidade e incapacidade das crises de enxaqueca; melhorar a tolerância e aceitação à farmacoterapia; melhorar a qualidade de vida; evitar intensificação da medicação aguda; educar e capacitar os pacientes a lidar com a doença, melhorando seu controle pessoal sobre a enxaqueca; reduzir os sintomas psicológicos e estresse relacionados a dor. QUAIS SÃO AS FORMAS DE TRATAMENTO? Existem tratamentos que podem ser divididos em sua atuação nas áreas física e mental. As terapias físicas incluem a fisioterapia com suas diversas técnicas: termoterapia, digitopressão, laserterapia, postura, relaxamento muscular. Outras formas de tratamento sem remédio que atuam fisicamente são os exercícios físicos e a acupuntura. As terapias com enfoque na esfera mental...

Pressão na Cabeça: O que pode ser?

Pressão na Cabeça: O que pode ser? Dr Mario Peres, médico neurologista, escreve sobre as causas da sensação de pressão na cabeça. Dores de cabeça são comuns na população, outras sensações como pressão na cabeça, aperto na cabeça, peso na cabeça, formigamentos na cabeça podem aparecer em algumas circunstâncias. A sensação de peso na cabeça pode ser secundária a alguma doença como uma infecção, um traumatismo craniano (alguma batida forte na cabeça), uso de algum medicamento, aumento da pressão arterial, ou até mesmo ser devido a alguma doença mais grave como tumor cerebral ou aneurisma. A cefaleia do tipo tensional pode ter como característica a sensação de peso, aperto ou pressão na cabeça. Ela pode estar também inserida no contexto de outras dores como a enxaqueca. As caracteristicas da cefaleia do tipo tensional são praticamente opostas a enxaqueca, a dor de cabeça ao invés de pulsátil é uma dor de cabeça em peso, em aperto. Costuma ser uma dor de cabeça bilateral, os dois lados da cabeça doem. A dor de cabeça é fraca ou moderada, enquanto na enxaqueca a dor é mais forte, podem ser mais curtas na sua duração (30 minutos) e podem também ser mais longas (7 dias). A pressão na cabeça associada a tontura, pressão na nuca, batimentos cardíacos acelerados, formigamentos, podem estar associados a quadros de ansiedade, ou até crises de pânico. O diagnóstico de labirintite deve ser também levantado pois a tontura, especialmente rotatória, com alteração do equilíbrio pode ser o sintoma predominante. Dores de cabeça como a enxaqueca e a cefaleia tensional podem ser associadas a tonturas, e não necessariamente ser labirintite. Procure um neurologista para uma avaliação correta do diagnóstico e das formas de tratamento. Para marcar uma consulta com Dr Mario Peres, ligue para 11 2151-0110 (hospital albert einstein) ou 11 3285-5726 (centro de...

Enxaqueca no Site do Einstein: Sintomas, Tratamento, Botox

Dr Mario Peres fala sobre enxaqueca no site do Hospital Albert Einstein. Leia a matéria Enxaqueca O que é enxaqueca? Muitas vezes confundida com outras cefaleias, a enxaqueca é um tipo de dor de cabeça que costuma provocar dores unilaterais e latejantes, acompanhadas na maioria das vezes de náuseas, vômitos e intolerância a sons, luz e cheiros fortes. As crises tendem a aparecer ocasionalmente, com duração de quatro até 72 horas. Em casos extremos, a frequência pode ser diária. Causas da Enxaqueca A enxaqueca é uma doença multifatorial. Além do fator genético, o consumo de alimentos como queijos, embutidos, chocolate, café e adoçantes com aspartame, sono prolongado ou falta de sono, excesso de exposição ao sol, alterações de hormônios, tabagismo, odores fortes e a ingestão de bebida alcoólica podem desencadear uma crise. Transtornos de humor, como ansiedade e depressão, também podem frequentemente estar associados a um episódio de enxaqueca. Incidência A enxaqueca acomete 15% da população brasileira. Mais frequente no público feminino – só na região sudeste 30% das mulheres sofrem com as crises -, a doença é uma das principais causas de falta ao trabalho. A média é de quatro dias perdidos de trabalho por ano. Nos Estados Unidos, o custo estimado indireto por ano é de 13 bilhões de dólares. Por ser incapacitante – algumas pessoas não conseguem ficar em locais com luz ou barulho –, a enxaqueca influencia também as atividades familiares, sociais e escolares. Sintomas da Enxaqueca A crise de enxaqueca pode ser dividida em quatro etapas com sintomas distintos. Na premonitória, o período anterior à dor de cabeça, é comum o desejo por determinados alimentos, como chocolate, alterações de humor, cansaço, bocejos e retenção de líquidos. Depois vem a aura, que normalmente precede a crise, mas também pode ocorrer simultaneamente. Ela ocorre em 15 a 25% das enxaquecas, e se manifesta com alterações na vista...

Exercício Físico no Tratamento da Enxaqueca

Está sendo realizado um protocolo de pesquisa na UNIFESP para avaliar o efeito do exercício físico no tratamento da enxaqueca. Trata-se da tese de doutorado de Arão Belitardo, aluno do Prof Dr Mario Peres. Será feito um treinamento físico aeróbio 3vezes por semana por 12 semanas, com intensidade moderada (40-60% do VO2 de reserva) em esteira. Será avaliada a aptidão aeróbia por ergoespirometria e pré e pós treinamento e correlacioná-los com a frequência de crises. Critérios de inclusão: Ø Pessoas que sofram de enxaqueca menos de 15 dias por mês; Ø Homens ou mulheres de 18 a 65 anos; Ø Que não tomam medicação para o coração [PROPRANOLOL (REBATEN) – ATENOLOL (ATENOL) – CARVEDILOL (CARDILOL) – VERAPAMIL (DILACORON)]. Não tabagistas; Não usuário de drogas; Sem uso de pílulas contraceptivas, anticoncepcionais (p/ as mulheres)  Ø Sedentários (não estejam praticando atividade física regularmente). Ø Estejam dispostas a realizar programa de 12 semanas (3 x / semana) de condicionamento físico aeróbio (moderado) como parte do seu tratamento. Ø Os participantes realizarão gratuitamente teste ergo-espirométrico (aptidão física) e exames de sangue. Ø Pessoas SEM enxaquecas, desde que atendam os demais critérios, também poderão participar como controle. Para maiores informações e agendamento de consulta, favor contatar Dr. Reinaldo Ribeiro ou Enfermeiro Johny: – Pelo Telefone: 5576-4778; ou, – Pelo e-mail dr.reinaldo@ig.com.br; ou – Pessoalmente no Ambulatório de Dor de Cabeça da UNIFESP na Rua Napoleão de Barros, 771, Térreo, Balcão 5 da Neurologia, Seg. – Qua. – Sex. às 8:00h....

Dor de Cabeça na Gravidez

Dor de Cabeça na Gravidez Dr Mario Peres, médico neurologista com pós-doutorado na área das cefaleias, escreve sobre Dores de Cabeça na Gravidez, o que pode ser, o que fazer, como tratar. Dores de cabeça na gravidez podem ser resultado de várias causas. Podem ser dores de cabeça relacionadas a quadros prévios, cefaleias como a enxaqueca, cefaleia tensional, cefaleia em salvas. Pode ser uma cefaleia nova, sem história prévia de dor de cabeça anterior. Tratamento da enxaqueca na gravidez A história natural da enxaqueca na gravidez é favorável, geralmente a dor de cabeça na gestação melhora nos segundo e terceiro trimestres, porém no primeiro trimestre ela pode atrapalhar a vida da gestante e aparecer com mais frequencia. Normalmente são as mulheres com enxaquecas na menstruação, as enxaquecas menstruais, que melhoram mais na gestação. O tratamento da enxaqueca na gravidez é muito difícil para muitas gestantes e um desafio para os médicos. Mulheres com enxaqueca quando engravidam ficam sem saber como tratar suas enxaquecas pois o conceito tradicional é que não se pode usar nenhum remédio, ou os analgésicos simples que são permitidos não funcionam. O medo de qualquer medicação afetar o bebe é universal em todas as mães Primeiro fato que as gravidas devem ter em mente é que o tratamento principal para enxaqueca é o tratamento preventivo, para evitar que venha a dor de cabeça. Existem tratamentos para enxaqueca na gravidez, quando temos tempo, quando a mulher com enxaqueca planeja sua gestação, o tratamento da enxaqueca pode ser planejado também para que seja estabilizado e modificado o tratamento de acordo com a possibilidade de se dar continuidade no tratamento durante a gravidez. Privilegiamos na mulher grávida com enxaqueca os tratamento não medicamentosos, embora muitos remédios podem ser usados, tanto preventivos como para as crises de dor de cabeça. Os tratamentos possíveis são: psicoterapia, acupuntura, fisioterapia com termoterapia, laser, relaxamentos,...

Oxigênio no tratamento da crise de Cefaleia em Salvas

Oxigênio no tratamento da crise de Cefaleia em Salvas. dr Mario Peres, médico neurologista, pós-doutorado na área de cefaleias escreve sobre o tratamento da cefaleia em salvas com o oxigênio. A Cefaleia em Salvas tem algumas particularidades, tanto na sua apresentação clínica quanto no seu tratamento. Leia Cefaleia em Salvas: causas, sintomas e tratamento Muito comum a grande demora em se fazer o diagnóstico da cefaleia em salvas, pois acaba sendo confundida com a enxaqueca, sendo tratada como tal e sem resolução, sem resposta ao tratamento. O tratamento da cefaleia em salvas, assim como todas as cefaleias, tem como prioridade a prevenção, evitar que venham as crises, encerrar mais rapidamente o surto, o ciclo de dores e também evitar que venha um próximo surto. Leia mais sobre tratamento da cefaleia em salvas com melatonina e tratamento da cefaleia em salvas com bloqueio do nervo occipital clicando nos links Na hora da dor, duas são as opções mais eficazes, o sumatriptano subcutaneo e o uso do oxigênio. Interessante que de todas as cefaleias primárias como a enxaqueca ou cefaleia tensional, apenas na cefaleia em salvas que o oxigênio tem um papel importante, ele é recomendado para cortar a crise quando ela aparece, é muito eficaz, e não tem efeito colateral. Apesar de eficaz e bem tolerado, o oxigênio tem acesso limitado, é preciso estar perto de um cilindro ou torpedo de oxigênio em um serviço hospitalar, o que muitas vezes inviabiliza seu uso pois a crise de cefaleia em salvas tem duração média de uma hora, não dá tempo para chegar até um pronto socorro. Além disto, os médicos da emergência normalmente não conhecem este tratamento e acabam não prescrevendo. A solução é o aluguel de um torpedo de oxigênio, com uma máscara ou catéter de O2, para ser usado a 100%, a 15 litros por minutos por 15 minutos...

Dor de Cabeça e Meningite

Meningite é uma inflamação das meninges. A meninge é um tecido, uma membrana que envolve todo o sistema nervoso central, encéfalo (cérebro e tronco cerebral) e medula espinhal. A meningite pode ser por algum agente infeccioso, bactérias, virus (meningite viral), fungos. A meningite pode ser por outras causas não infecciosas como medicamentos, doenças inflamatórias, neoplasias (cancer). A meningite bacteriana é a mais perigosa, pois pode evoluir para a septicemia, que é uma infecção generalizada e causar graves sequelas até a morte. A meningite mais comum é a viral, a meningite viral é mais benigna, muitas vezes passa sem ser diagnosticada. O principal sintoma da meningite é a dor de cabeça, uma cefaleia forte, aguda, diferente das dores de cabeça habituais. Outros sintomas da meningite são a rigidez de nuca, pescoço rígido, nauseas, enjoo intenso, vomitos. INCIDENCIA E TAXAS DA MENINGITE Estima-se que 3.500 casos de meningite bacteriana e septicemia ocorram no Reino Unido todo ano. O Brasil entre 2003 e 2005 foram registrados 2400 casos de meningitis na região metropolitana de Goiania. Em 2006 morreram mais de 2.500 pessoas por causa da meningite, A meningite pode ser fatal, principalmente se for de origem bacteriana, especialmente a meningite menigocócica (causada pelo meningococo, uma bactéria com 3 sorotipos – A, B e C). Porisso a meningite no Brasil e em vários países é uma doença de notificação compulsória. Algumas epidemias de meningite já assolaram o Brasil. Na década de 1970 a meningite meningocócica uma epidemia causada por vírus A e C com foco em São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador, quase foi suficiente para serem cancelados os jogos pan-americanos de 1975. Na década de 80 epidemias causadas pelo meningoco do grupo B ocorreram. SINTOMAS DA MENINGITE O principal sintoma da meningite, qualquer que seja a causa é a dor de cabeça, a cefaleia. Uma cefaleia forte, de instalação aguda, diferente...

Estudo mapeia progressão da Enxaqueca Crônica

PROGRESSÃO DA ENXAQUECA CRÔNICA : INÍCIO DOS SINTOMAS DAS CEFALEIAS, TRANSTORNOS DE ANSIEDADE, DEPRESSÃO E ENXAQUECA CRÔNICA Pesquisa publicada recentemente na revista Headache Medicine revela como o ocorre a progressão dos sintomas ao longo das décadas até se chegar na enxaqueca crônica, tipo mais grave de enxaqueca. A enxaqueca crônica se caracteriza por crises de enxaqueca diariamente, se associa geralmente a sintomas de ansiedade e humor, sendo comum a associação com a depressão. Os pesquisadores avaliaram a relação temporal entre o aparecimento dos sintomas de ansiedade, depressão e dor de cabeça, 84% dos indivíduos com enxaqueca crônica apresentaram algum diagnóstico psiquiátrico, principalmente transtorno de ansiedade (76%), depressão (50%), e transtorno misto de ansiedade e depressão (44%). O transtorno de ansiedade mais freqüente foi o transtorno de ansiedade generalizada (preocupações excessivas) e fobia específica (de animais, altura, lugar fechado, sangue). Os indivíduos com enxaqueca crônica avaliados apresentaram uma característica em comum: os transtornos de ansiedade se instalaram primeiro, na adolescência (média de idade de 13,9 anos), seguidos do início de enxaqueca episódica, enxaquecas espassadas (média de idade de 20,9 anos), depois se instalaram alterações do humor como a depressão (33,4 anos) e por último a enxaqueca crônica, o pior estágio da enxaqueca com crises de dor diária (36,7 anos). A idade média dos indivíduos avaliados era 41,4 anos. Dra Juliane Mercante, autora principal do estudo, comenta: “a progressão da doença segue um padrão semelhante nos que sofrem hoje de enxaqueca diariamente, o diagnostico e o início do tratamento da enxaqueca precocemente pode evitar a piora e evolução do quadro”. Pacientes com história de ansiedade, enxaqueca e depressão possivelmente podem estar com risco mais elevado de desenvolver enxaqueca crônica. E a avaliação precoce pode prevenir um sofrimento significativo. Para contato com Dra Juliane Mercante, psicóloga com doutorado no Instituto de Psiquiatria da FMUSP, escreva para julianeperes@terra.com.br ou (11)...

Tratamento da Enxaqueca com Botox – efeitos colaterais

Tratamento da Enxaqueca com Botox – efeitos colaterais Dr Mario Peres, médico neurologista, pós-doutorado na área de cefaleias nos Estados Unidos, fala sobre o tratamento da enxaqueca com o Botox e seus efeitos colaterais. O botox (toxina botulínica tipo A) foi aprovada nos Estados em outubro de 2010 para o tratamento da enxaqueca crônica e no Brasil, pela ANVISA este ano (2011). A aplicação é segura, eficaz, funciona diminuindo as crises de dor na maioria dos pacientes com enxaqueca. Mas não é todo tipo de dor de cabeça que se beneficia da aplicação. Também, não é a aplicação estética que funciona, pois as doses e os pontos de aplicação são diferentes, além da necessidade de ser um neurologista capacitado para fazer o procedimento. Como recentemente veiculado no programa da Ana Maria Braga, falou-se dos efeitos colaterais da aplicação, mas vale ressaltar que são raros e ainda mais incomuns em mãos experientes. 1. Queda da pálpebra. Ocorre apenas se os pontos aplicados na testa forem muito próximos dos olhos, felizmente na nossa experiência de aplicações de toxina para dores de cabeça, nunca tivemos este efeito. 2. Mudança na aparência do rosto. Os pontos de aplicação incluem a testa, e se for aplicado mais de um lado do que outro pode mudar a expressão facial. Naturalmente a programação das doses a serem aplicadas incluem a exata simetria da face para que isto não aconteça. Na nossa experiência também nunca tivemos tais efeitos adversos. 3. Dor nos pontos da aplicação. Podem ocorrer no momento da aplicação, apesar de ser um procedimento bastante tranquilo, alguns pontos podem ficar pouco doloridos após, mas isto ocorre em uma minoria dos pacientes e passa rapidamente. 4. Fraqueza muscular. A fraqueza muscular ocorre se a aplicação for exagerada em músculos da cervical (percoço). Ou seja, todos os efeitos colaterais são dependentes da experiência do aplicador. Em resumo,...

« Older Entries Next Entries »