728 ad
Currently Browsing: Causas da Dor de Cabeça

Dor de cabeça relacionada a maior ingesta de sal

Dor de cabeça relacionada a maior ingesta de sal. Dr Mario Peres, médico neurologista, escreve sobre a recente pesquisa que mostrou relação do consumo de sal com mais dor de cabeça. Estudo publicado no British Medical Journal (BMJ) mostra o efeito do consumo do sal e a ocorrencia de dores de cabeça. Liderado pelo Dr. Lawrence Appel, diretor do Welch Center for Prevention, Epidemiology and Clinical Research na Johns Hopkins, Baltimore, a pesquisa mostra que pessoas que ingerem 8 gramas de sal por dia tem 35% mais dor de cabeça do que quando ingerem 4 gramas. Para acessar o estudo “Effects of dietary sodium and the DASH diet on the occurrence of headaches: results from randomised multicentre DASH-Sodium clinical trial” acesse o link http://bmjopen.bmj.com/content/4/12/e006671.full   Foram  390 pessoas divididas na dieta DASH, rica em frutas, vegetais, laticinios, e pouco gordurosa ou dieta livre, o ideia dos autores era de verificar o efeito da dieta na hipertensão arterial. A diferença das duas dietas não foi significante em relação a dores de cabeça, mas o conteúdo de sal foi o que mostrou impacto. Resta saber se diminuirmos o sal da alimentação pode melhorar as dores de cabeça das pessoas que sofrem com enxaqueca, cefaleia tensional ou outras dores de cabeça. Como a maioria das pessoas come acima do recomendado do conteúdo de Sódio (1,5 g ao dia), esta orientação pode ser útil para a maioria das pessoas. Especialistas podem incluir a diminuição do sal nos tratamentos da enxaqueca. Esta pesquisa tem limitações pois não sabemos o tipo exato das dores de cabeça, se cefaleias do tipo tensional, enxaquecas, dores diarias ou infrequentes se alteraram da mesma forma com a mudança da ingesta de sal....

Efeitos da cafeína no organismo

Entrevista no JC Debate da TV Cultura, Dr Mario Peres, médico neurologista fala sobre os efeitos da cafeína no organismo.   Assista ao bloco 1 Bloco 1. Recentemente a tenista Serena Williams pediu aos juízes um café no meio da partida, o pedido foi concedido e Serena acabou ganhando a partida. Dr Mario Peres comenta que existem várias substâncias no café, além da cafeína, que é a mais importante, outras como antocianinas, antioxidantes e até substâncias analgésicas recentemente descobertas. A dose e horário da ingesta do café é de vital importância, pois o excesso do café pode gerar insônia, dores de cabeça, agravar enxaquecas, ansiedade, irritabilidade, tremores, gastrite. Cerca de 3 cafezinhos ao dia não é prejudicial para a maioria das pessoas, mas o último não deve passar das 18 horas. Pesquisa mostra que um cafezinho mais um cochilo tem efeito benéfico. Dr Mario comenta que o o estudo foi feito com pessoas que estavam cansadas, portanto com uma privação de sono, então deve-se ter uma atenção especial ao que está por trás da tomada do café, que pode encobrir algum deficit de memória, como o TDAH no adulto, o transtorno do déficit de atenção e hiperatividade, ou outras distúrbios do sono, como a apneia do sono. Abstinência da cafeína. Dr Mario Peres, comenta sobre a falta do café, a abstinência é muito comum quando temos o hábito de tomar café no trabalho durante a semana e no final de semana não ter a mesma ingesta, então sente-se dor de cabeça, ansiedade, irritabilidade, falta de concentração. Veja abaixo o Bloco 2 A jornalista Andresa Boni comenta das impurezas do café e mostra uma matéria sobre o assunto. Comenta também que a Embrapa descobriu recentemente substâncias no café com efeito similar ao da morfina. Dr Mario Peres finaliza comentando que se observe os sintomas que podem estar relacionados ao consumo do...

Dor de cabeça, pessimismo e inflamação

Uma das pesquisas mais importantes na área da dor nos últimos anos. Um dos maiores estudiosos do efeito placebo, o italiano Fabrizio Benedetti, publica na revista PAIN ((155) 2014, pag 921-928) um excelente artigo: ” Nocebo and placebo modulation of hypobaric hypoxia headache involves the cyclooxygenase-prostaglandins pathway”. Dois grupos de estudantes que iam para um acampamento de pesquisa na montanha a 3500 metros de altitude foram avaliados. De 121 estudantes, 36 manifestaram preocupação com a ocorrência de dor de cabeça na altitude e apresentaram uma expectativa negativa, antecipação de que teriam dor de cabeça na montanha. Sabemos que aumentam mesmo as chances de cefaleia quanto maior a altitude que estamos. Os que não se preocuparam mas posteriormente tiveram dor de cabeça foram comparados. A pesquisa descobriu que a expectativa negativa aumenta os níveis de substâncias inflamatórias, prostaglandinas e tromboxanas, sugerindo aumento da atividade da ciclooxigenase nestes pacientes, além de aumentar também a chance da dor de cabeça, cefaleias aparecerem. Já se sabia que o efeito nocebo, efeito gerado pela expectativa negativa, era modulado pelas substâncias opióides, endocanabinóides e colecistoquininas. Esta pesquisa confirma a ideia de que o pessimismo, que a expectativa negativa aumenta a chance de ter dores no corpo e dores de cabeça, e que estes mesmos pensamentos negativos aumentando os níveis de substâncias inflamatórias. Provavelmente a reversão destes pensamentos por outros que ressaltem o otimismo, a expectativa positiva, a fé, possam melhorar os estados de dor! Chegará o dia em que ao invés de tomar um anti-inflamatório faremos uma meditação ou oração e a dor desaparecerá? Texto escrito pelo Dr Mario Peres, médico neurologista.  ...

Causas da Enxaqueca, dor de cabeça no calor

O site do Dr Drauzio Varella publicou uma matéria sobre as causas da enxaqueca, o calor e as dores de cabeça, na qual damos alguns esclarecimentos, veja o texto abaixo escrito pela jornalista Juliana Conte: http://drauziovarella.com.br/destaque1/calor-intensifica-crises-de-enxaqueca/ “A enxaqueca é uma doença multifatorial, causada por vários fatores além do genético. O consumo de alimentos como queijos, embutidos e chocolate, alterações hormonais, tabagismo, odores fortes e ingestão de bebida alcoólica podem desencadear uma crise. Por isso, se você costuma ter crises de enxaqueca é melhor ficar atento, pois o calor ajuda a torná-las mais frequentes. Nestes dias em que a temperatura vem batendo recordes, a dica é evitar exposição prolongada ao sol e procurar se hidratar bem. “O que acontece é que o calor dilata as artérias e veias da cabeça, podendo causar fortes dores no fim do dia. A claridade também é um grande problema, pois pessoas com enxaqueca apresentam fotofobia, ou seja, são muito sensíveis à luz”, explica o neurologista Mario Peres, do Hospital Israelita Albert Einstein. No calor, os indivíduos também ficam mais suscetíveis à desidratação, que leva a um desequilíbrio na entrada e saída de sódio e potássio das células, podendo alterar o metabolismo e desencadear quadros de enxaqueca. “Nos dias de temperaturas elevadas, nós automaticamente perdemos muito mais líquidos. E isso tem relação direta com a enxaqueca”, completa Peres. A medida de controle para as crises seria resfriar a cabeça com compressas de água fria, tomar bastante líquido e, se estiver num ambiente muito quente, esperar um pouco para entrar em outro muito gelado, com ar condicionado. É importante também sair de casa munido de óculos de sol e chapéu.” Vale lembrar que o tratamento da enxaqueca e de outras cefaleias, dores de cabeça não pode ser apenas com remédios para crise, como os analgésicos, deve ser preventivo, para evitar que venham as dores de cabeça, avaliando as causas e...

Especialista esclarece dúvidas frequentes sobre dores de cabeça, enxaqueca

Dr Mario Peres, médico neurologista, responde perguntas sobre causas, sintomas e tratamento das dores de cabeça, cefaleias, enxaquecas. 1.Quais as causas mais comuns da dor de cabeça (tensão, ingestão de álcool, enxaqueca, problemas oculares, sinusite etc.)? As dores de cabeça podem ser um sintoma de alguma doença, desde uma simples gripe até um aneurisma ou tumor cerebral, quando chamamos de cefaleias secundárias. Podem ser também dores de cabeça recorrentes como no caso da enxaqueca, cefaleia tensional, cefaleia em salvas e outras, chamadas cefaleias primárias. Nestas, os desencadeantes podem ser alimentares (jejum, bebida alcoólica, excesso de cafeína, lactose, embutidos, enlatados), hormonais, estresse, falta de sono, e sedentarismo. 2.Como é feito o diagnóstico das cefaleias, das dores de cabeça? O diagnóstico das cefaleias secundárias se faz com exames pertinentes a cada suspeita, desde testes laboratoriais como hemograma, dosagem de hormonios, provas inflamatórias, assim como exames de imagem, tomografia, ressonancia magnética. Na suspeita de meningite costuma se fazer o exame do liquor, por punção lombar, para retirada e análise do líquido cefalorraquidiano (liquor). Já o diagnóstico das cefaleias é clínico, baseado nas informações, aspectos, características das dores, sua localização, tipo, fatores associados, duração, frequência, na maioria das vezes não necessita de exames. 3.Como prevenir e tratar os sintomas das cefaleias? O principal tratamento das cefaleias é o preventivo, para tanto, é preciso uma avaliacão criteriosa para serem determinados os desencadeantes, as causas da dor. Existem várias opções de medicamentos e formas não medicamentosas para prevenir enxaquecas e outras cefaleias primárias, com o uso de antidepressivos, anticonvulsivantes, bloqueadores adrenérgicos, além de suplementos, vitaminas, fitoterápicos que podem também ser usados. O uso da toxina botulínica (botox) é muito utilizado em pacientes com enxaqueca crônica. Na hora da dor, para cortar a crise, os analgésicos simples podem funcionar, mas em crises mais fortes são necessários medicamentos específicos, da classe dos triptanos, com resposta superior aos...

Focos de Alteração de Sinal na Substância Branca Cerebral

Dr Mario Peres, médico neurologista, escreve sobre a alteração de sinal na substância branca cerebral. Quando se pede uma Ressonância Magnética da Cabeça é comum observarmos no lauda o descrição: -Raros e Diminutos Focos e alteração do sinal da substância branca de ambos os hemisférios cerebrais, inespecíficos, comumente representando gliose ou rarefação mielínica. O que significa este laudo de Ressonância Magnética de Cabeça? Normalmente este é um laudo que acompanha muitos exames de Ressonância Magnética de Cabeça, normalmente na investigação de uma dor de cabeça, cefaleia, enxaqueca. É preciso saber se a pessoa tem algum risco para doença vascular, para ter um AVC, como tabagismo, hipertensão, diabetes, sedentarismo, estresse, além da enxaqueca que é por ela própria também um risco. Raramente este laudao se reflete em esclerose múltipla, ou isquemia cerebral, geralmente são achados benignos e não se correlacionam com a gravidade dos sintomas do paciente. Não se desespere, procure um neurologista para definir exatamente qual é o seu problema, ao ler o laudo do exame não tome conclusões precipitadas, cuidado com o Dr Google! Para marcar uma consulta com o Dr  Mario Peres, médico neurologista com doutorado na UNIFESP e pós-doutorado na Filadelfia, EUA, ligue para 11 2151-0110 (Hospital Albert Einstein, sala 110) ou no consultório da R Joaquim Eugenio de Lima, 881 cj 708, no numero 11...

Causas e Tratamento da Enxaqueca e Dores de Cabeça – CBN

Causas e Tratamento da Enxaqueca e Dores de Cabeça – CBN Programa Consultório CBN com Tania Morales, entrevista sobre enxaqueca, dores de cabeça com Dr Mario Peres, neurologista do Hospital Albert Einstein <iframe src=”http://www.cbn.com.br/Player/player.htm?audio=2012/noticias/consultorio_120901&OAS_sitepage=cbn/comentarios/” width=”475″ height=”193″ marginheight=”0″ marginwidth=”0″ frameborder=”0″ scrolling=”no” bgcolor=”#CCCCCC”/></iframe> Dr Mario fala sobre o livro “Dor de cabeça: o que ela quer com você?”, sobre hormônios e enxaqueca, causas da enxaqueca, tratamentos com remédio, tratamento sem remédio.   Para marcar uma consulta ligue para (011) 2151-0110 (Hospital Albert Einstein) ou (011) 3285-5726 (Centro de...

Dor de Cabeça na Gravidez

Dor de Cabeça na Gravidez Dr Mario Peres, médico neurologista com pós-doutorado na área das cefaleias, escreve sobre Dores de Cabeça na Gravidez, o que pode ser, o que fazer, como tratar. Dores de cabeça na gravidez podem ser resultado de várias causas. Podem ser dores de cabeça relacionadas a quadros prévios, cefaleias como a enxaqueca, cefaleia tensional, cefaleia em salvas. Pode ser uma cefaleia nova, sem história prévia de dor de cabeça anterior. Tratamento da enxaqueca na gravidez A história natural da enxaqueca na gravidez é favorável, geralmente a dor de cabeça na gestação melhora nos segundo e terceiro trimestres, porém no primeiro trimestre ela pode atrapalhar a vida da gestante e aparecer com mais frequencia. Normalmente são as mulheres com enxaquecas na menstruação, as enxaquecas menstruais, que melhoram mais na gestação. O tratamento da enxaqueca na gravidez é muito difícil para muitas gestantes e um desafio para os médicos. Mulheres com enxaqueca quando engravidam ficam sem saber como tratar suas enxaquecas pois o conceito tradicional é que não se pode usar nenhum remédio, ou os analgésicos simples que são permitidos não funcionam. O medo de qualquer medicação afetar o bebe é universal em todas as mães Primeiro fato que as gravidas devem ter em mente é que o tratamento principal para enxaqueca é o tratamento preventivo, para evitar que venha a dor de cabeça. Existem tratamentos para enxaqueca na gravidez, quando temos tempo, quando a mulher com enxaqueca planeja sua gestação, o tratamento da enxaqueca pode ser planejado também para que seja estabilizado e modificado o tratamento de acordo com a possibilidade de se dar continuidade no tratamento durante a gravidez. Privilegiamos na mulher grávida com enxaqueca os tratamento não medicamentosos, embora muitos remédios podem ser usados, tanto preventivos como para as crises de dor de cabeça. Os tratamentos possíveis são: psicoterapia, acupuntura, fisioterapia com termoterapia, laser, relaxamentos,...

Dor de Cabeça e Meningite

Meningite é uma inflamação das meninges. A meninge é um tecido, uma membrana que envolve todo o sistema nervoso central, encéfalo (cérebro e tronco cerebral) e medula espinhal. A meningite pode ser por algum agente infeccioso, bactérias, virus (meningite viral), fungos. A meningite pode ser por outras causas não infecciosas como medicamentos, doenças inflamatórias, neoplasias (cancer). A meningite bacteriana é a mais perigosa, pois pode evoluir para a septicemia, que é uma infecção generalizada e causar graves sequelas até a morte. A meningite mais comum é a viral, a meningite viral é mais benigna, muitas vezes passa sem ser diagnosticada. O principal sintoma da meningite é a dor de cabeça, uma cefaleia forte, aguda, diferente das dores de cabeça habituais. Outros sintomas da meningite são a rigidez de nuca, pescoço rígido, nauseas, enjoo intenso, vomitos. INCIDENCIA E TAXAS DA MENINGITE Estima-se que 3.500 casos de meningite bacteriana e septicemia ocorram no Reino Unido todo ano. O Brasil entre 2003 e 2005 foram registrados 2400 casos de meningitis na região metropolitana de Goiania. Em 2006 morreram mais de 2.500 pessoas por causa da meningite, A meningite pode ser fatal, principalmente se for de origem bacteriana, especialmente a meningite menigocócica (causada pelo meningococo, uma bactéria com 3 sorotipos – A, B e C). Porisso a meningite no Brasil e em vários países é uma doença de notificação compulsória. Algumas epidemias de meningite já assolaram o Brasil. Na década de 1970 a meningite meningocócica uma epidemia causada por vírus A e C com foco em São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador, quase foi suficiente para serem cancelados os jogos pan-americanos de 1975. Na década de 80 epidemias causadas pelo meningoco do grupo B ocorreram. SINTOMAS DA MENINGITE O principal sintoma da meningite, qualquer que seja a causa é a dor de cabeça, a cefaleia. Uma cefaleia forte, de instalação aguda, diferente...

Estudo mapeia progressão da Enxaqueca Crônica

PROGRESSÃO DA ENXAQUECA CRÔNICA : INÍCIO DOS SINTOMAS DAS CEFALEIAS, TRANSTORNOS DE ANSIEDADE, DEPRESSÃO E ENXAQUECA CRÔNICA Pesquisa publicada recentemente na revista Headache Medicine revela como o ocorre a progressão dos sintomas ao longo das décadas até se chegar na enxaqueca crônica, tipo mais grave de enxaqueca. A enxaqueca crônica se caracteriza por crises de enxaqueca diariamente, se associa geralmente a sintomas de ansiedade e humor, sendo comum a associação com a depressão. Os pesquisadores avaliaram a relação temporal entre o aparecimento dos sintomas de ansiedade, depressão e dor de cabeça, 84% dos indivíduos com enxaqueca crônica apresentaram algum diagnóstico psiquiátrico, principalmente transtorno de ansiedade (76%), depressão (50%), e transtorno misto de ansiedade e depressão (44%). O transtorno de ansiedade mais freqüente foi o transtorno de ansiedade generalizada (preocupações excessivas) e fobia específica (de animais, altura, lugar fechado, sangue). Os indivíduos com enxaqueca crônica avaliados apresentaram uma característica em comum: os transtornos de ansiedade se instalaram primeiro, na adolescência (média de idade de 13,9 anos), seguidos do início de enxaqueca episódica, enxaquecas espassadas (média de idade de 20,9 anos), depois se instalaram alterações do humor como a depressão (33,4 anos) e por último a enxaqueca crônica, o pior estágio da enxaqueca com crises de dor diária (36,7 anos). A idade média dos indivíduos avaliados era 41,4 anos. Dra Juliane Mercante, autora principal do estudo, comenta: “a progressão da doença segue um padrão semelhante nos que sofrem hoje de enxaqueca diariamente, o diagnostico e o início do tratamento da enxaqueca precocemente pode evitar a piora e evolução do quadro”. Pacientes com história de ansiedade, enxaqueca e depressão possivelmente podem estar com risco mais elevado de desenvolver enxaqueca crônica. E a avaliação precoce pode prevenir um sofrimento significativo. Para contato com Dra Juliane Mercante, psicóloga com doutorado no Instituto de Psiquiatria da FMUSP, escreva para julianeperes@terra.com.br ou (11)...

Saiba tudo sobre enxaqueca – Hospital Albert Einstein

Assista o vídeo sobre enxaqueca, dores de cabeça, cefaleia tensional, cefaleia em salvas na página do Hospital Albert Einstein – Em dia com a saúde. Dr Mario Peres, médico neurologista, explica as causas, sintomas e tratamentos das cefaleias, enxaquecas. Leia todos os posts sobre cefaleia em salvas clicando aqui cefaleia em...

Dor de Cabeça, Enxaqueca, Tontura, Vertigem e Labirintite

Dr Mario Peres, médico neurologista, autor do livro Dor de Cabeça: O que ela quer com você?, escreve sobre as causas, sintomas e tratamento das dores de cabeça, enxaquecas e tonturas, vertigem e labirintite Tonturas, vertigem e labirintite, o que todas elas tem em comum? Dor de cabeça e tontura: o que pode ser? Tonturas e dores de cabeça podem estar associadas em diversos aspectos. Nos quadros de enxaqueca, a tontura, descrita também como um mareamento, percebida pelos pacientes como crises de labirintite, vertigem, pode ser um sintoma associado da própria crise de enxaqueca, além das nauseas, vômitos, dor latejante, incômodo com a luz e o barulho, as tonturas podem estar presentes juntamente com a dor de cabeça da enxaqueca. Pode ocorrer também que além de crises de enxaqueca, a pessoa sofra também de uma síndrome vestibular, uma vertigem como a neuronite vestibular, a chamada labirintite. Uma medicação que pode ser boa para enxaqueca e labirintite é a flunarizina, mas seu uso deve ser monitorado pois pode causar ganho de peso e agravar depressão. Um elo em comum entre a enxaqueca e as tonturas é a ansiedade. Uma síndrome chamada MARD, migraine anxiety related dizziness, ou seja, tontura relacionada a enxaqueca e ansiedade, é um dos diagnósticos mais observados na minha prática clínica. A tontura pode ser constante, ou uma tontura repentina. A tontura pode aparecer na gravidez e ser secundária a anemia, remédios, queda de pressão, doenças metabólicas. Em breve, mais sobre tonturas e dores de cabeça. Deixe seu...

« Older Entries